Terça-Feira, 12 de Novembro de 2019, 21:15   |   49 Usuários OnLine   |   Fale Conosco
Construção Shopping Presentes para Namorada
 
 

Almofadas, Ursinhos e Bichinhos de Pelúcia
Você esta em: Construção Shopping » Justiça condena construtoras a pagar R$ 2,2 mi por ‘falhas’ no Fórum


Justiça condena construtoras a pagar R$ 2,2 mi por ‘falhas’ no Fórum

Duas construtoras responsáveis pela construção do Fórum de Maceió, no Barro Duro, foram condenadas pela Justiça a pagar mais de R$ 2,2 milhões por ‘falhas’ na construção do prédio. O Fórum passou dois anos fechados para reforma após tremores que obrigaram a evacuação do prédio.


A condenação é do juiz da 18ª Vara da Fazenda Pública Estadual, Manoel Cavalcante. No despacho, o magistrado condena as empresas Uchôa Construções Ltda. e Construtora Sauer Ltda. ao ressarcimento ao erário (Tribunal de Justiça) do valor de R$ 2.213.975,91 em face da infringência das regras da boa engenharia determinadas pela ABNT (Associação Brasileira de Normas e Técnicas) e que gerou prejuízos ao erário devido à necessidade de reforma e reforço estrutural do prédio do Fórum de Maceió.


Além do ressarcimento ao TJ, as empresas foram condenadas ao pagamento das custas processuais e honorários advocatícios no valor de R$ 50 mil para o autor da ação e R$ 10 mil para o Estado de Alagoas, considerando a atuação das partes na demanda, a complexidade da causa, o interesse público envolvido e a iniciativa do autor popular.


O prédio do Fórum de Maceió já foi palco de vários problemas, entre eles rachaduras na estrutura e, o maior deles, o tremor que obrigou uma evacuação de emergência. À época, serventuários da Justiça se recusaram a voltar a trabalhar no local, alegando que temiam por sua integridade física.


O prédio passou dois anos fechados para reforma, orçada em R$ 4 milhões, que foi concluída em julho de 2010. Mesmo após a reforma, o prédio voltou a apresentar problemas no início deste ano. A situação foi relatada pelo corregedor-geral do Tribunal de Justiça de Alagoas, desembargador James Magalhães em sessão no pleno do TJ.


O corregedor elencou várias falhas constatadas por ele, que vão desde questões operacionais, como falta de assentos para os usuários como infiltrações e mofos em algumas salas do prédio.

 

Fonte: alagoas 24 horas

Compartilhar: Salve no Delicious Comente no digg Publique no facebook Marcar no Google BookMarks Postar no MySpace Twit-this! Windows Live  

Comentários sobre esta notícia

Esta notícia ainda não teve nenhum comentário.

Seja o primeiro, comente já!


Envie seu comentário sobre esta notícia
Seu Nome:
Seu E-mail: (não será publicado)
Seu Site:
Seu Comentário: (Caracteres restantes: )

 
 
MN Engenharia e Gerenciamento
Brasil Post Móveis
B&N Projetos
Doka Bath Works
Vidraçaria Brasil
Quintal Paisagismo
 

Siga-nos no Twitter!
Links | Parcerias
Antenas
Suporte para Antenas
Banheira
Banheiras
Banheiras Contemporâneas
Banheiras Vitorianas
Banheiras para Bebés
Clínica de Reprodução Humana
Marketing em Medicina
Marketing para Clínicas
Inseminação Artificial
Agência de Publicidade em Campinas
Cirurgia Endovascular
Embolização de Miomas Clínica de Fertilização
Transformação Digital
Lente de contato dental São Paulo
 
 
 
Novos Anúncios
Últimos Anuncios
Domos e Clarabóias Azulejos, Pisos e Revestimentos Portas e Janelas Divisórias e Box Banheiros Telhas Tijolos Areia e Pedra Cerâmica Engenharia
Top 5 Anúncios
 
ConstruçãoShopping.com.br
© 2009-2019 Direitos Reservados.
  Desenvolvido por
Argon | Otimização de Sites