Sábado, 27 de Novembro de 2021, 03:20   |   47 Usuários OnLine   |   Fale Conosco
Construção Shopping Presentes para Namorada
 
 

Almofadas, Ursinhos e Bichinhos de Pelúcia
Voc esta em: Construo Shopping » Telhado Vivo - Mais uma Medida Ecológica


Telhado Vivo - Mais uma Medida Ecológica

O governo de Nova York acaba de propor incentivo de US$ 4,50 por ‘pé quadrado’ aos proprietários de construções que implantarem telhados verdes em, no mínimo, 50% das coberturas até 2011. A proposta vai além, prevendo descontos no imposto de propriedade urbana equivalente ao IPTU. Caso seja aprovada, a lei passa a valer em 2009, abrangendo cidades com mais de um milhão de habitantes.

No Brasil, o município de Niterói, no Rio de Janeiro, permite que edifícios que instalarem telhado verde construam uma laje a mais. E, em Porto Alegre, o Plano Diretor em discussão no momento, prevê essa solução como compensação para a área verde do empreendimento. A tendência no país é que o telhado verde venha a ter os mesmos incentivos que a energia solar.

Algumas construtoras brasileiras já estão adotando a idéia em seus projetos, como a Ecoesfera. “Temos dois empreendimentos já entregues onde foram instalados telhados verdes, o Ecolife Butantã e o Cidade Universitária. Colocamos nas áreas externas dos prédios, como a cobertura das portarias. No prédio do Butantã, foi instalado também no salão de festas, sendo a área total de telhado verde de aproximadamente 200 m². A utilização desse tipo de cobertura faz parte de um dos itens de sustentabilidade de nossos empreendimentos”, diz Alberto Souza, engenheiro de obras da empresa, acrescentando que os clientes valorizam o telhado verde como um diferencial para o imóvel. “Ao sobrevoar esses edifícios não se vê aqueles telhados cinza convencionais de concreto. Os moradores constataram que o telhado verde proporciona uma temperatura mais refrescante no ambiente interno e, ao mesmo tempo, compõe o paisagismo”, constata.

O telhado verde ainda é mais conhecido no exterior, como na Alemanha, onde foi instalado em cerca de 15% das residências e edifícios. “Existem legislações que incentivam a solução porque é um benefício para a sociedade”, comenta João Manuel Feijó, engenheiro agrônomo e sócio da Ecotelhado, empresa de Porto Alegre especializada em telhados verdes. Ele explica que a base do produto desenvolvido pela empresa é um módulo em EVA (polietileno co-acetato de vinila), e agregado de água e cimento, formando uma colméia dividida em oito blocos, evitando a erosão. “A instalação é fácil. Primeiro é colocada a geomembrana que tem a função de impedir o enraizamento das plantas na cobertura e aumentar a estanqueidade do sistema. Sobre ela é aplicada uma manta de absorção de material reciclado, utilizada para manter a umidade e reserva de nutrientes. O processo é finalizado com a instalação dos módulos sobre a manta. No início estudamos o que havia sido feito no exterior e desenvolvemos toda nossa tecnologia”, detalha Feijó.

O telhado verde auxilia no micro-clima das cidades, propiciando o arrefecimento da temperatura pela evaporação e fotossíntese das plantas. Nas cidades que expandem sua área de vegetação, as doenças respiratórias apresentam redução de até 25%. “É uma economia grande na saúde pública. Além disso, o telhado verde retém água, evitando enchentes”, acrescenta. Nas edificações horizontais ou mesmo nas verticais, o isolamento térmico proporcionado pela cobertura verde gera economia de energia, dispensando o uso de ar condicionado”, constata. Segundo Feijó, estudo realizado pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul comparou o telhado verde com o convencional, em pleno verão, quando a temperatura alcançava os 35 ºC. “Com as telhas de amianto, o ambiente interno chegou perto dos 65 ºC, enquanto que, com o verde, o interior da edificação se manteve em 35 ºC”, revela. 

Como todo jardim, o telhado verde precisa de água. No Brasil, a região Sul tem boa distribuição de chuva, porém existem áreas em que chove metade do ano e, outras, apenas três meses. Por isso, Feijó ressalta que é necessário combinar o telhado verde com sistemas de tratamento de água de chuva e esgoto. Segundo ele, a manutenção do telhado é semelhante a de um jardim e depende da planta que for escolhida, pois algumas carecem de poda mais constante. Já que no telhado não existe o trânsito de pessoas, as plantas ficam mais preservadas. “O cliente escolhe o tipo de planta, principalmente para os telhados com sistema de irrigação e peso maior. Os telhados verdes são classificados em leves, com 50 kg/m² e pesados de 100 kg/m² ou mais, adequados para gramas e plantas arbustivas”, conta Feijó, dizendo que um telhado verde de 100 kg/m² não chega a exigir reforço estrutural do edifício. “Uma laje de concreto de 10 cm pesa muito mais que um telhado verde. Quanto mais elaborado for o jardim, mais terá que se pensar na estrutura. Quando bem executado, o telhado verde tem menor probabilidade de infiltração que um telhado convencional. Uma laje impermeabilizada com massa asfáltica está sujeita a infiltração, devido ao calor que faz com que ela dilate ou retraia. O telhado verde protege a superfície do telhado e da própria impermeabilização, garantindo durabilidade três vezes maior”, compara.

Para Feijó o telhado verde é uma medida eficaz para a redução do aquecimento global para centros urbanos como São Paulo, porque não interfere no espaço do trânsito de veículos ou com toda a parafernália de cabeamentos próprios das cidades. “Acredito que dentro de cinco anos teremos mais telhados verdes nas cidades, assim como hoje é possível dizer que a solução já está sendo absorvida pelo mercado. A Ecotelhado colocou em torno de 6 mil m² de telhado verde em obras dos mais variados portes, desde residências e comércios, até indústrias e igrejas. Estamos em processo de crescimento e devemos instalar em um único projeto em torno de 10 mil m². Há pouco tempo o telhado verde era totalmente desconhecido no Brasil. Hoje as construtoras estão adotando em seus projetos. A situação mudou, as grandes empresas dão passos à frente, diferente de antigamente quando medidas só eram aplicadas por força de lei”, conclui João Manuel Feijó.

Fonte: AECweb

Compartilhar: Salve no Delicious Comente no digg Publique no facebook Marcar no Google BookMarks Postar no MySpace Twit-this! Windows Live  

Comentrios sobre esta notcia

Esta notícia ainda não teve nenhum comentário.

Seja o primeiro, comente já!


Envie seu comentrio sobre esta notcia
Seu Nome:
Seu E-mail: (no ser publicado)
Seu Site:
Seu Comentrio: (Caracteres restantes: )

 
 
Brasil Post Móveis
B&N Projetos
Doka Bath Works
Vidraçaria Brasil
Quintal Paisagismo
TelhaNorte
 

Siga-nos no Twitter!
Links | Parcerias
Móveis para Área Externa
Banheira
Banheiras
Banheiras Contemporâneas
Banheiras Vitorianas
Banheiras para Bebês
Marketing em Medicina
Marketing para Clínicas
Agência de Publicidade em Campinas
Cirurgia Endovascular
Embolização de Miomas
Dentista em Curitiba
Lente de contato dental São Paulo
 
 
 
Novos Anúncios
Últimos Anuncios
Domos e Clarabóias Azulejos, Pisos e Revestimentos Portas e Janelas Banheiros Divisórias e Box Telhas Areia e Pedra Tijolos Cerâmica Churrasqueiras
Top 5 Anúncios
 
ConstruçãoShopping.com.br
© 2009-2021 Direitos Reservados.
  Desenvolvido por
Argon | Otimização de Sites